Publicado Online: 20 de julho de 2020

Diagnóstico dos resíduos sólidos em uma instituição de ensino superior

Mário Marcos Moreira da Conceição e Antônio Pereira Júnior

RESUMO As instituições de ensino superior devem praticar uma política adequada quanto aos resíduos sólidos que elas geram a partir do plano de gerenciamento deles. A pesquisa teve como objetivo, efetuar o diagnóstico dos resíduos sólidos no Campus VI da Universidade do Estado do Pará em Paragominas, Brasil. Para obtenção dos dados primários, foi aplicado um formulário semiestruturado (dez questões: cinco objetivas e cinco subjetivas) nos 17 setores, e os secundários, fez-se pesquisas em links eletrônicos de livre acesso como SciELO, BDDT, Web Science e Science Direct.  Aplicou-se o método indutivo, com caráter exploratório e abrangência qualiquantitativa, de natureza aplicada. efetuada a gravimetria dos resíduos, de acordo com os sólidos produzidos. A análise indicou que há no Campus VI, 17 fontes geradoras de resíduos sólidos e os mais produzidos são; papeis (n = 94,1%); papelão (n = 82,3%); embalagens plásticas (n = 88,2%); vidros são descartados por apenas cinco (n = 9,4%) deles. São gerados 6,55 kg/dia e 139,09 kg/mês de resíduos sólidos. Não há coletores seletivos nos locais de produção, sendo que a destinação e disposição é o vazadouro a céu aberto a partir da coleta efetuada pela terceirizada contratada pela prefeitura do município de Paragominas - PA. Além disso, o Campus VI, não possui um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

PALAVRAS-CHAVE: coletores seletivos, meio ambiente, plano de gerenciamento de resíduos sólidos

        https://doi.org/10.29327/multiscience.2020007 (registering DOI)

1200px-DOI_logo.svg.png

MALQUE Publishing

©2018-2020 by MALQUE Publishing