MALQUE Publishing

©2018-2019 by MALQUE Publishing

Publicado Online: 17 de março de 2020

Aferição do pseudoucaule dos resíduos da bananicultura para a produção de biocombustível

Caio Henrique Ungarato Fiorese, Rafael Almeida de Freitas, Renata Paulino Belone, Otoniel de Aquino Azevedo,

Gabrielli Machado Bindeli, Gilson Silva-Filho

RESUMO Dentre os resíduos provenientes da bananicultura, destaca-se o pseudocaule, que, quando não descartado ou aproveitado da maneira correta, contribui com impactos ambientais. O presente trabalho tem como objetivo verificar o potencial energético do pseudocaule e a viabilidade de sua utilização como biocombustível. Para o estudo da biomassa, realizou-se análises do poder calorífico superior (PCS), teor de cinzas (TC) e teor de umidade (TU) de três grupos de amostras do pseudocaule (T1, T2 e ST). T1 e T2 receberam tratamento químico, respectivamente, com HCl e NaOH 0,1M e ST não recebeu tratamento. Foram obtidos os seguintes resultados: ST = 3702 Kcal/Kg (PCS), 14,45% (TC) e 8,6% (TU); T1 = 4254 Kcal/Kg (PCS), 1,79% (TC) e 14,68% (TU); T2 = 4250 Kcal/Kg (PCS), 4,05% (TC) e 10,33% (TU). O pseudocaule apresentou valores que o assemelha a outras biomassas, como a casca de arroz e bagaço-de-cana, com potencial para substituí-las. O tratamento químico se mostrou efetivo para a utilização do pseudocaule como combustível por aumentar sua capacidade calorífica e reduzir o teor de cinzas. Conclui-se que tanto o pseudocaule in natura quanto o tratado com HCl e NaOH possuem características que viabilizam sua utilização como combustível sólido, em que os tratamentos conferiram à biomassa melhores características para fins energéticos.

PALAVRAS-CHAVE: cultura da banana, produção sustentável, resíduo

        https://doi.org/10.29327/multiscience.2020001 (registrando DOI)

1200px-DOI_logo.svg.png