MALQUE Publishing

©2018-2019 by MALQUE Publishing

Publicado Online: 10 de fevereiro de 2020

CrossMark_faixa.png

Produção de quitosana a partir da quitina extraída de exoesqueletos de crustáceos para diversas aplicações humanas: uma proposta de sustentabilidade ambiental

Caio Henrique Ungarato Fiorese, Blenda Vargas Cade, Caroline de Souza Fontes, Fernanda Machado Carrari Medeiros,

Otoniel de Aquino Azevedo, Gilson Silva-Filho, Gabrielli Machado Bindeli

RESUMO A presente pesquisa aborda, por meio de uma revisão bibliográfica, a quantidade de resíduos gerados no processo de beneficiamento de crustáceos, as formas de disponibilização desses resíduos segundo legislações e normas vigentes e uma proposta de reaproveitamento da quitina dos exoesqueletos de crustáceos. Esses, apesar de serem biodegradáveis a um determinado tempo, podem causar danos ao meio ambiente e à saúde humana, quando descartados incorretamente. Dessa forma, sugere-se a extração da quitina, um biopolímero que constitui a maior parte dos exoesqueletos dos insetos, crustáceos e parede celular de fungos e o segundo mais abundante na natureza, para produção de quitosana a qual estudada aponta-se a produção de biofilme com propriedades medicinais, sendo uma alternativa de desenvolvimento regional. Outro fator importante é o fato da baixa toxicidade apresentada por quitina e quitosana, o que viabiliza ainda mais as pesquisas.

PALAVRAS-CHAVE: ambiente sustentável; biopolímero; resíduos de crustáceos

         https://doi.org/10.29327/multi.2020006

1200px-DOI_logo.svg.png