Publicado Online: 28 de outubro de 2018

CrossMark_faixa.png

A biotecnologia como instrumento de recuperação de corpos hídricos

Ana Beatriz Matos Rodrigues, Andreza da Silva e Silva, Antonio Gabriel Sales de Souza, Luana Lima Souza, Antônio Pereira Júnior

RESUMO A eutroficação é um processo pelo qual desestabiliza o ecossistema aquático e deteriora a qualidade das águas superficiais, em vista disso, a inserção de medidas mitigadoras e reparadoras são indispensáveis para a conservação do corpo hídrico. O objetivo dessa pesquisa é analisar qualitativamente como o uso da biotecnologia associada aos biorremediadores, atua no processo de recuperação dos ambientes áqueos. O método empregado foi indutivo, e a pesquisa apresenta natureza básica, com abordagem qualitativa e complementada com levantamento de dados em bases de pesquisas como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, Scientific Electronic Library Online – SciELO e o Google Scholar, cujo recorte temporal compreendeu de 2009 a 2018. Os dados indicaram que a qualidade quanto ao uso da biorremediação é efetiva, seja com a aplicação da fitorremediação, ou outras biotecnologias associadas ou não, e apresentam menor custo quando comparadas aos métodos físicos e químicos existentes. Os dados indicaram também que os microrganismos e plantas, possuem maneiras específicas para a remoção, imobilização ou transformação de poluentes advindos do lançamento inadequado de efluentes. Haja vista, que essas medidas mitigatórias e recuperadoras são alternativas muito novas para o contexto de empresas poluidoras e da sociedade como um todo. Logo, o uso dessas biotecnologias é importante para disseminar maneiras de regenerar ambientes contaminados, nas quais possuem um baixo custo energético e não necessitam de intervenções físico-químicas diretas.

PALAVRAS-CHAVE: bioacumulação; biorremediação; contaminantes; eutroficação

         https://doi.org/10.29327/multi.2018015

1200px-DOI_logo.svg.png

MALQUE Publishing

©2018-2020 by MALQUE Publishing